IPTDA - JATAK

Instituto de Pesquisas Técnica e Difusões Agropecuárias da JATAK

BOLETIM INFORMATIVO JATAK Nº.9
por Fábio Válio de Camargo - APPC (Associação Paulista dos Produtores de Caqui) - Pilar do Sul – SP
24 de October de 2007
CERIMÔNIA DE LANÇAMENTO DO TANGOR KINSEI

No dia 19 de outubro de 2007 realizou-se, em Pilar do Sul - SP, na propriedade do sr. Carlos Akira Morioka, a cerimônia de lançamento do tangor KINSEI. KINSEI será a marca comercial registrada da fruta, conhecida no Brasil como Dekopon, da APPC ( Associação Paulista dos Produtores de Caqui ).

A fruta cítrica Dekopon, um tangor sem sementes, foi criada na Estação Experimental da Província de Nagasaki – Japão em 1972, através do cruzamento de uma laranja KYOMI com uma tangerina PONKAN SELEÇÃO NAKANO Nº3, por isso é classificado com o nome de Tangor. Na oportunidade, a fruta não teve interesse por parte da Estação Experimental, devido à acidez muito forte e, posteriormente, seu material foi parar nas mãos de alguns produtores de tangerina na região de SHIRANUHI, na Província de Kumamoto, que é vizinha à Nagasaki. Nesta localidade, os produtores adequaram as técnicas de cultivo e conseguiram produzir frutas com bom teor de sólidos solúveis ( Brix ) e principalmente baixa acidez. Assim a fruta recebeu o nome científico de Citrus reticulata SHIRANUHI.

No ano de 1988, o nome Dekopon foi registrado como marca comercial (apenas o nome e não a planta) pela Província de Kumamoto, passando a ser comercializado e conhecido no Japão e no Brasil como Dekopon.

A introdução da fruta no Brasil não tem dados oficiais. Uma das versões seria a introdução feita pelo produtor Unkichi Taniwaki de Turvolândia, Sul de MG, há mais ou menos 20 anos, produtor este que difundiu a cultura do Tangor Dekopon no Brasil. Com o sucesso da produção do sr. Taniwaki, muitos produtores começaram a plantar a fruta, com o desejo de obter bons resultados. Mas com o uso das mesmas técnicas da Tangerina Ponkan, esses produtores conseguiram colher frutas de boa coloração, bom tamanho, mas de acidez muito forte, que é uma das características da variedade. Mesmo ácidas, essas frutas eram e ainda continuam sendo comercializadas com o nome Dekopon. Com isso os consumidores têm como imagem da fruta aquela “ponkan grande sem sementes” mas muito ácida. Isso fez muitos produtores desistirem da cultura, pois frutas ácidas não tem mercado.

Em 2003, o Voluntário Sênior da JICA (Japan International Cooperation Agency), sr. Massahiro Urata, veio para orientar os produtores de caqui da APPC ( Associação Paulista dos produtores de Caqui ), que tem sede na cidade de Pilar do Sul - SP. O “Professor”, como é conhecido, é da Província de Kumamoto, onde além de ter trabalhado com caqui, acompanhou toda a história do Dekopon, desde sua implantação, aperfeiçoamento das técnicas para baixar a acidez, registro da marca comercial, pois fazia parte da equipe técnica da Cooperativa Agrícola de sua Província.

Continuação da reportagem no Boletim Informativo JATAK N 10